Souks de Marraquexe

Desde a famosa Praça Jemaa el-Fna até à Madrassa Ben Youssef, cobertos por toldos de canas, há um incrível labirinto caótico de mercados. Um autêntico despertar dos sentidos, os souks de Marraquexe ainda hoje se mantêm autênticos e merecem uma visita demorada para explorar uma das zonas mais carismáticas da cidade antiga.

Ainda hoje podemos encontrar ateliers de artesãos de couro, cestos, metais, e roupas, nos inúmeros bazares e lojas espalhadas por esta parte de Marraquexe. Sem dúvida esta é uma das partes mais importantes da Medina para quem visita, e explorar os souks de Marraquexe, as suas ruelas e recantos, é um re-descobrir o passado de uma cidade.

Todos os souks de Marraquexe estão abertos das 8h às 20h. Há Sexta-feira muitas lojas estão fechadas.

Top 3

1

Souk Haddadine

2

Souk Attarine

3

Praça Rahba Kdima

Pontos turísticos dos Souks de Marraquexe

  1. Souk Haddadine
  2. Souk Attarine
  3. Praça Rahba Kdima
  4. Souk Joutia Zrabi
  5. Souk Serrajine
  6. Souk Kchacha
  7. Souk Kimakhine

Restaurantes

  • Café Des Épices: 75 Derb Rahba Lakdima. Todos os dias das 9h às 23h. Site.
  • Mechoui Quessabine: Passage Chouaine, pode detrás da mesquita Kharbouch. Todos os dias das 11:00 às 13h.
  • Gargote no 29: Praça Jemaa el-Fna. Todos os dias das 18h às 24h.
  • Le Toubkal: Praça Jemaa el-Fna / Rue Zitoune el Kdim. Todos os dias das 18:30 às 24h.
  • Le Foundouk: 55 Rue du Souk Hal Fassi / Kaat Benachid. 3ª a Domingo das 12h às 24h. Site.
  • Le Marrakchi: 52 Rue des Banques / Jemaa el-Fna. Todos os dias das 12h às 15h, e das 19:30 às 22:30.

Cafés e Casas de Chá

  • Dar Tim Tam: 44 Rue Znikhet Rahba. Todos os dias das 9h às 21h.
  • Dar Chérifa: 8 Derb Cherfa Lakbir / Mouassine. Todos os dias das 9h às 19h. FB.
  • Café de France: Place Jemaa el-Fna. Todos os dias das 5h às 23h.
  • Argana: Place Jemaa el-Fna. Todos os dias das 9h às 21h. FB.

Atracções e Monumentos:

Souk Kchacha

Souk Kchacha: O mercados de frutos secos com amêndoas, nozes, amendoins, passas, sementes de girassol, abóbora e soja seca. À direita do beco está uma linha de bancadas tradicionais com os cestos de verga, os antigos fornos para torrar os frutos, e os montes de doces e rebuçados. No lado esquerdo do beco estão as bancadas modernas, que dispõem os seus produtos dentro de tabuleiros, e que vendem tudo a peso e em grandes quantidades.

Place Rahba Kdima

Place Rahba Kdima: Conhecida como “praça velha”, este antigo mercado de escravos é hoje em dia um lugar que reúne vendedores de medicamentos naturais, mezinhas, ervas e curandeiros. Corno de rinoceronte, mosca espanhola, pele de camaleão e beladona em pó são alguns dos ingredientes que estes curandeiros misturam para criar vários tipos de poções estranhas, elixires e curas pouco prováveis de tosses, resfriados ou depressões, demónios, prevenção de adultério ou para reforçar a potência sexual.

Sob o olhar suspeitos dos camaleões e lagartos, segredos de beleza ancestrais são revelados com almíscar, barro ghassoul, saboun beldi e kohl. No centro da praça várias mulheres decoram as mãos e os pés com exóticos padrões com tatuagens em henna.

Souk Smata

Souk Smata: Este mercado de sandálias tem um ambiente pouco iluminado. Dentro das várias lojas, podemos avistar milhares de sandálias marroquinas coloridas. Aqui há para todos os gostos: redondas estilo berbere, citadinas pontiagudas, clássicas, padrão pele de zebra ou mesmo de pele de cobra. A qualidade varia mas podemos ter em atenção que há solas de plástico coladas, ou outras cozidas À mão com sola de couro.

Souk Joutia Zrabi

Souk Joutia Zrabi: O distintivo som da sala de leilão que cobre este lugar peculiar da medina de Marraquexe é único. Ainda hoje há leilões de Sábado Quinta das 16h às 17 h. O leilão passa-se numa mistura de árabe e berbere, e os preços variam muito tendo em conta a qualidade ou estilo de tapete à venda. Os tapetes são abertos e expostos a leilão, e seguidamente enrolados para serem levados pelos seus novos donos.

Souk Cherratine

Souk Cherratine: Os Franciscanos que outrora residiam aqui só deixaram a sua presença praticamente escondida num par de lojas ainda com o seu nome. Artesãos de couro estabeleceram-se aqui e o corredor antes de chegarmos a este local já está empregnado com o cheiro de peças de couro recentemente curtidas. As peles são transformadas em chkairas (sacos tradicionais), sacos de mão e bolsas, pufes e cintos, tudo cortado, cozido e acabado neste souk.

Souk Serrajine

Souk Serrajine: Numa pequena praça, ao fundo do corredor, há vários ateliers dos últimos artesãos de selas de cavalos, uma tradição especial em Marrocos. Estes artesãos constroem selas, cintos, freios, esporas e todo o tipo de acessórios para cavalos.

Souk Haddadine

Souk Haddadine: Bem-vindos ao poeirento e ensurdecedor mundo dos ferreiros e trabalhadores do metal, magos na sua profissão. Janelas estilo Moucharabiehs com diferentes padrões, lanternas com lindos cortes e decoração, candelabros e abajures de todo o tipo. Tenha atenção em pedir permissão para tirar fotografias neste local.

Souk Attarine

Souk Attarine: O mercado dos artesãos de cobre e latão é aqui. Pouca luz, pó e ruído do trabalho nas oficinas é marcante. Tudo isto enquanto se rodeia de milhares de bules de chá, pratos, espelhos, caixas e lanternas elegantemente trabalhados in sito.

Souk Sebbaghine

Souk Sebbaghine: Este é o mercado dos artesãos que tingem tecidos, lãs e outros tipos de tecidos. Neste local caótico, sujo mas altamente interessante, homens passam o dia a tingir lãs e tecidos variados, ficando estes expostos ao Sol a secar. Por debaixo das bancadas, em enormes caldeirões escavados na pedra, podemos ver os tecidos misturados em água, misturados com diferentes pigmentos tais como índigo, açafrão, menta selvagem, papoila, pétalas de rosa, romã e cobalto. Este local visto dos terraços superiores é incrível pela mistura de cores.

Souk Kimakhine

Souk Kimakhine: Melodias diversas e notas de música saem das inúmeras lojas de instrumentos musicais deste mercado. Este é o local onde vários artesãos constroem os seus próprios instrumentos musicais, uma tradição ancestral que não se perde em Marraquexe. Aqui, sentados, os maalems (mestres artesãos) talham o corpo de darboukas, tarijas, taras e guitarras gnaoua chamadas de guembris, para depois procederem à aplicação da pele de cabra ou pele de peixe para acabar o dito instrumento na perfeição.

Dicas:

  1. Absorva o caos: A medina de Marraquexe e os seus mercados são um lugar caótico, com muita gente, com muita movimentação. Esteja preparado, e simplesmente navegue tendo em conta que este é um lugar único no mundo.
  2. Saiba dizer Não: Os vendedores marroquinos conseguem ser inconfortavelmente persuasivos. Não desespere. O importante e a regra Nº1 é saber dizer “Não, muito obrigado”.
  3. Não seja rude ou antipático: Mais do que em qualquer lado, os marroquinos não reagem muito bem a pessoas antipáticas. Seja simpático e as pessoas serão também elas simpáticas para sim. Nunca seja agressivo.
  4. Deixe-se perder: Não se preocupe que há sempre um caminho de volta. Estar perdido não quer dizer que já não conseguirá voltar a um lugar conhecido. Perca-se, explore, e quando acabar dirija-se a uma loja tipo supermercado ou loja de artesanato e pergunte direcções para a Praça Jemaa el-Fna.
Categorias Bairros